Sasha | Revista Glamour de Março

Sasha é a capa da revista Glamour de março

Alguns trechos da entrevista:

Sasha, conta como é sua vida em Nova York?

Bem, os estudos ocupam grande parte dela. Porque tem a faculdade [Sasha estuda fashion design na prestigiada Parsons School of Design e conclui o curso em 2020], cuja carga horária varia dia a dia, e os milhares de projetos que tenho que fazer. Faço à tarde, aos fins de  semana… sou bem dedicada. Nas horas vagas, cuido da casa e saio com meus amigos brasileiros. Tem vários morando aqui. O programa preferido é sair pra comer.

E sua casa? Quem limpa, cozinha…?

Moro com uma das melhores amigas, a Bruna Muniz Moreira, em Downtown, e a gente divide tudo. Combinamos quem arruma, quem cozinha. Ela é amiga de infância, cresci com ela. Como já morava aqui, me mudei pro seu apê. Temos uma pessoa que vem de vez em quando e nos ajuda. No começo [Sasha se mudou pra lá em agosto do ano passado], era dramático o lance da cozinha. A gente esquecia o forno ligado direto. Uma vez, coloquei água pra ferver e saí pra faculdade… acredita?! Voltei na hora, em pânico!

Agora, falando da sua faceta estilista. Em outubro passado, você criou uma linha de roupas e desfilou pela Coca-Cola Jeans no São Paulo Fashion Week. Na mesma semana, abriu seu Instagram e clicou a campanha deles. É tudo parte do mesmo pacote?

Sim, um combo! Minha história com eles começou em 2014, quando fui ver um desfile de que a Bruna Marquezine, amigona minha, participou. No backstage, conheci o André [Jório, diretor da marca]. Um tempo depois, ele me procurou com uma proposta. Confesso que fiquei bem insegura – acho que tenho tanto a aprender! Mas eles foram tão pacientes e parceiros, me passaram uma confiança! Falei: “Vocês sabem que estão contratando alguém que está aprendendo, né?”. Me preocupo muito com isso. Hoje funciona assim: tenho ideias malucas, e eles me dizem se elas são viáveis. Tenho aprendido muito sobre o que funciona, o que vende, se o custo-benefício das peças que proponho é possível… Nosso contrato é de três anos. 

Como você descreveria a relação com seus pais?

Sou muito, muito sortuda de ser filha de quem sou. Por exemplo: minha mãe modificou toda a agenda dela para ficar comigo por duas semanas quando me mudei, me ajudar a organizar tudo. Ela e meu pai [o empresário e ator Luciano Szafir] me apoiam em tudo que faço, conversamos sobre todos os assuntos. É muito amor… Outro dia, vi um vídeo da cara do meu pai quando entrei na passarela da Coca. Tão fofa a reação dele!

glamour_sasha1615
Sasha posa para a Capa da Glamour (Foto: Yuri Sardenberg e Aninha Monteiro/Glamour)

Sasha segundo…

O pai:

“Eu babo para falar da minha filha! Sasha é uma menina inteligente, linda, de personalidade forte. Não se deixa levar pela opinião de ninguém, sempre soube o que quis e foi mais madura que a idade. Antes, preferia ficar mais na dela. Agora, está aparecendo mais, mas não sem motivo. A razão é o trabalho. Ela tem um contrato com uma marca, está estudando moda. Para mim, Sasha morar nos Estados Unidos é maravilhoso e péssimo ao mesmo tempo. Maravilhoso porque ela faz uma faculdade ótima, tem liberdade e não vive mais em um país extremamente perigoso como o nosso. Péssimo porque sentimos saudade e não nos vemos mais todos os dias como antes.”

Luciano Szafir, ator

A mãe:

“Admiro muito a personalidade, o caráter, a maneira de Sasha ver a vida e, claro, seu coração bondoso. Desde pequena, quer ajudar as pessoas, os bichos, os velhos (cabeças brancas, como ela chamava!)… Ela é do jeito que eu pedi a Deus e não me acostumo nunca a ficar longe dela. Ela é sol, alegria, cheiro bom… Quando está do meu lado, nada mais tem importância. Somos amigas e sempre a tratei com muito respeito. O lado mãe só aparece quando tem perigo, pois quero protegê-la de drogas, amizades falsas, desilusões… Mas não dá para protegê-la de tudo, sei disso. Ela nunca deixou de me dizer ‘cheguei’, ‘vou dormir’, e ‘bom dia, acordei’. Não é questão de vigiar, é para ter certeza de que ela está bem. Sasha nunca gostou de se expor e nunca havia manifestado desejo de estar em frente às câmeras. Foi a possibilidade de desenhar, criar sua própria linha que a deixou enlouquecida. É um sonho para qualquer menina que estuda moda. Por isso ela está saindo do casulo e vai se transformar em uma linda borboleta diante dos nossos olhos. Ela sabe que tem muito que aprender e se cobra bastante. Como nunca tinha feito uma capa, ficou nervosa, ansiosa e feliz. A Glamour vai ser um divisor de águas: ou ela vai em frente ou desiste.”

Xuxa, uma das poucas pessoas que dispensam sobrenome, né?

A amiga de infância: 

“Conheci a Sá pela Xuxa, no primeiro filme que fizemos juntas, Xuxa Abracadabra, em 2003. ‘Você e minha filha precisam brincar’, ela disse. Então me convidou para ir dormir na casa delas direto da gravação. Eu estava ansiosa, nervosa, feliz – pensa numa criança indo pela primeira vez à casa da Xuxa! Acordei com a Sá me cutucando e falando: ‘Oi, quer brincar?’. Desde então grudamos uma na outra. Sempre que a gente se encontra é a mesma alegria. Ela é minha irmã mais nova. E somos as duas leoninas, né? Podia dar errado. Mas nos damos bem exatamente por isso. Somos muito parecidas, nos conhecemos pelo olhar.”

Bruna Marquezine, atriz

Thássia Naves no 1°editorial de moda ao vivo para Glamour Brasil

A Revista Glamour de setembro fez um editorial especial com a Thássia Naves via facebook live, 12 mil leitores participaram da escolha dos looks e ainda viram como funciona um ensaio de moda.

Thássia Naves – Créditos (Fernando Tomáz)

Uma pontinha da entrevista: 🙂

– O que não pode faltar no look do dia?

Thássia Naves – Em primeiro lugar não pode faltar personalidade! Para dar um up na produção, amo usar bolsas.

– A peça-coringa?

Thássia Naves – Camisa branca! Com ela dá pra combinar várias peças e criar produções incríveis.

– O vício da vez?

Thássia Naves – Tênis! Ele tem dominado meus looks ultimamente… Estou apaixonada pelos modelos brancos e slip-on.

– Já enjoei de?

Thássia Naves – Ainda uso bastante e acho lindo, mas já fui mais apaixonada pelas botas over the knee…

– A sua ídola das redes sociais? Pq?

Thássia Naves – Thaynara, é claro! Ela é muito engraçada. Já tive a oportunidade de vê-la pessoalmente, super simpática e alto astral.

– Perfis do snap que ama?

Thássia Naves – Kylie Jenner, Man Repeller e a Gisele Bundchen.

– Com quem você adoraria bater um papo?

Thássia Naves – Com a Kylie… Já a encontrei em um evento mas adoraria poder conversar um pouco mais com ela. Adoro as maquiagens que ela faz e o truque do carão nas fotos.

– Um truquezão de beleza que aprendeu com os maquiadores?

Thássia Naves – Passar iluminador nas espinhas que estão incomodando. Parece improvável, mas é um truque que funciona mesmo.

– Pra conseguir a selfie perfeita é preciso…?

Thássia Naves – Do ângulo e luz perfeitos!

– Qual a primeira coisa que faz toda manhã?

Thássia Naves – Assim que acordo, já vejo meu celular rs

– O próximo destino de viagem?

Thássia Naves – NY! Mais uma semana de moda, estou muito ansiosa.

– O desfile que sonha assistir?

Thássia Naves – Adoraria assistir o desfile da Victoria Beckham. 

– Thássia não vive sem?

Thássia Naves – Celular!

– Estilo é…?

Thássia Naves – Se sentir bem com o que você está usando.

A matéria completa poderá ser conferida nas bancas no dia 28 de agosto.

Izabel Goulart, eleita madrinha dos Jogos Olímpicos, é capa da Glamour de agosto!

Eleita a rainha dos Jogos Olímpicos, a Izabel Goulart deu uma entrevista sobre a sua história de superação. Segue abaixo alguns trechos.

Mas o caminho para o pódio foi longo. A top Izabel Goulart, 31 anos, teve infância humilde no interior de SP e chegou a vender coxinha na rua pra sustentar a família. Eleita madrinha do Brasil nos Jogos Olímpicos, Iza é hit nas redes sociais graças ao combo treino + disciplina digno de atleta. E a história de superação que você vai ler aqui daria um filme – filme que, aliás, planeja lançar um dia.

 Conta pra gente como vai ser sua rotina de madrinha do Time Brasil? Intensa! Quero estar do começo ao fim, visitar os atletas, participar de verdade. Vai ser a primeira a que vou assistir pessoalmente, estarei ali como fã. Quando carregar a tocha olímpica, sei que vou me emocionar e lembrar tudo o que passei pra chegar até ali, de quando não tinha nem calçado, das noites sem dormir, das mudanças de país sem falar uma palavra em outra língua… Os atletas mais bem-sucedidos de hoje cresceram do nada e conquistaram tudo. Eu me vejo muito neles. Cresci com a vida me empurrando todos os dias. Se eu aceitasse o não, eu não teria comida, como sobreviver no dia seguinte. Isso reflete no que sou hoje. Pelas dificuldades que passei – e passaria tudo de novo –, meu maior defeito e minha maior qualidade são: o “não” não existe! Meu maior sonho é um dia fazer um filme da minha história.

E o que contaria nesse filme? Tudo o que passei. Tenho necessidade de dizer: ok não ter o que comer de vez em quando, vai ter um dia em que seu prato vai estar cheio. Ok seus amigos tirarem sarro porque você não tem sapato, o seu dia de recompensa vai chegar. O filme do Zezé di Camargo [Dois Filhos de Francisco, de 2005], já vi umas dez vezes! É lindo e tão real ver uma história triste, mas que motiva! Acho que a minha história triste pode ser motivacional também. Não precisa ter o mesmo final feliz. Cada pessoa tem um objetivo. Penso nisso como um marco pessoal mesmo.

Tem alguma história sua que não poderia faltar nesse filme? Que dos meus 9 anos aos 14 eu vendia coxinha na rua. Não é o ato de vender a coxinha em si, mas o que está ligado a esse momento. São momentos que eu quero apagar, que machucam quando lembrados. Mas momentos em que fui muito corajosa. Na época do governo Collor, meus pais perderam o trabalho e o dinheiro que tinham, que já não era muito. Chegou um momento em que não tínhamos mais móveis pra vender pra pagar as contas nem pra pôr comida na mesa. Tudo isso me levou a sair pra vender coxinha.

E como foi o primeiro dia, você lembra? Chegou o dia em que a gente tinha o último dinheiro pra refeição do dia seguinte, e a minha mãe teve a ideia de fazer salgado pra vender, porque assim a gente teria o jantar e o dinheiro para o dia seguinte. Eu me emociono muito porque ela nunca tinha feito isso na vida. E acredita que, na hora da fritura, nenhuma estourou?! Isso é comum, quem já fez sabe. E a receita dava certinho pra 30 coxinhas! Por isso até hoje tenho uma coisa forte com o número 3 e o número 0. A gente não tinha como pagar alguém pra vender, então eu ergui a mão e disse: “Mãe, eu vou!”. E saí pra vender ali perto, num posto de gasolina. Os frentistas amaram! E fui fazendo amizade com todo mundo. Por cinco anos, eu alimentava as pessoas, e elas alimentavam a minha família.

Mas você continuava estudando? Sim! Em época de prova, me atrasava pra vender e morria de medo de outros vendedores passarem antes e ninguém comprar minhas coxinhas. Mas os frentistas me esperavam. “Hoje você quase matou a gente de fome”, diziam. E olha que não tinha nem isopor! Era uma bacia e só.

E como gerencia Instagram & cia. hoje? Seria fácil ter uma pessoa fazendo esse tipo de trabalho, como muita gente tem. Mas tudo o que faço tem que ter minha mão! Desde a comida da semana até a minha festa de aniversário, eu organizo tudo. Sou perfeccionista e sei que daria mais trabalho tendo alguém pra fazer do que eu mesma cuidando disso.

Isso de não delegar é muito Izabel… E de pôr a mão na massa também! Tanto na minha casa de Paris quanto na de NY, quando chego, gosto de eu mesma desfazer a mala, arrumar, fazer a compra da semana… Só chamo a diarista quando aperta.  Ano passado, prometi começar o ano delegando. Mas ninguém na equipe finaliza nada sem meu ok. Quero saber tudo.

E, fora a academia, pra onde você sempre quer ir? Pra casa da minha mãe, em São Carlos! Sempre que chego lá, ela me espera com farofa e pavê surpresa… Sinto muito falta, fico sensível quando falo de lá…

Você é superfamília, né? Não bateu vontade de ser mãe ainda? Não. E sabe por quê? Tenho cinco irmãos e uma irmã, que são como filhos! Nossa relação é muito maternal, vou a reunião de escola, passo no colégio, fico em cima… O Douglas acabou de se formar nos EUA agora! Eu fui na formatura e chorava sem parar, ninguém entendia nada! Mas eu só conseguia pensar em como Deus é bom por eu ter conseguido pagar a faculdade dele. Fora isso tenho uma legião de tios, tias, primos e primas. É muito bom, todo mundo se reúne pra fazer churrasco na chácara em São Carlos.

👏🏻👊🏻❤️

Romulo Arantes Neto abre sua casa para a Casa Vogue

Romulo Neto 🐱, que atualmente está na novela Etâ Mundo Bom e no longa Mais Forte que o Mundo, vivendo Fernandinho, um lutador de MMA, abre sua casa para a Casa Vogue.

Romulo Neto: “Em casa, gosto de madeira, aconchego e cores claras” – Foto Divulgação

Ele abriu as portas de sua casa, entre o Morro Dois Irmãos e a Pedra da Gávea, na zona sul carioca, para a coluna Confidencial, do site da Revista Casa Vogue, e contou intimidades como: seu local preferido, carreira, estilo, arquiteto preferido, obra de arte, entre outros assuntos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

🐱🐱🐱

Para ler a entrevista na integra acesse : CasaVogue